SEJA BEM-VINDO AO PEQ
APRESENTAÇÃO

 

       Criado em 1963, o Programa de Engenharia Química (PEQ) é o mais antigo da COPPE, tendo desempenhado o papel de embrião da Instituição. Como núcleo pioneiro, serviu de modelo para diversas iniciativas de pós-graduação em engenharia no país. Desde então, tem mantido e aperfeiçoado a tradição de dotar seu aluno com uma sólida formação, o que tem permitido a sua inserção nos setores industrial, acadêmico e de governo.

       O PEQ oferece oportunidades de pesquisa que conduzem aos graus de Mestre e Doutor em Ciências. O doutorado, cujo fortalecimento constitui meta prioritária, apresenta uma opção "direta" para os alunos que, inscritos no mestrado, exibam um bom desempenho acadêmico nas disciplinas cursadas. Em consonância com esta ênfase no doutorado, o PEQ está reformulando a estrutura do mestrado, com o objetivo de reduzir consideravelmente o tempo de conclusão do curso.

  • Pesquisas Conjuntas e Intercâmbio

       A busca de uma maior competitividade por parte da indústria brasileira tem se refletido também no aumento do número de empresas interessadas nos trabalhos desenvolvidos no PEQ, o que tem levado a iniciativas de pesquisas conjuntas. Estas iniciativas, além de gerarem recursos complementares, fornecem oportunidades para aplicação prática dos conhecimentos gerados no PEQ. Empresas como Petrobras, CPC, Polialden, PPH, Polisul, Polibrasil, Cia. Vale do Rio Doce, Coperbo, Nitrofértil, Oxiteno, Monsanto e Liquid Carbonic, entre outras, têm interagido com o PEQ, através de contratos de pesquisa ou de prestação de serviços firmados com a Fundação COPPETEC. Em um esforço conjunto com a FINEP, o CNPq, a CAPES e grupos industriais como Petrobras/Petroquisa, Oxiteno, Grupo Ultra e outros, o PEQ implementou e mantém desde 1991, o Núcleo Interdisciplinar de Catálise (NUCAT), envolvendo a participação dos Institutos de Química e Física da UFRJ, e de outras instituições de pesquisa e ensino do Rio.

       Os intercâmbios institucionais são uma característica do PEQ desde sua fundação e tem sido incentivados permanentemente, tanto com parceiros nacionais quanto internacionais. Alguns tem caráter mais permanente, na medida que se transformaram em "redes" temáticas. As formas de intercâmbio mais praticadas nos últimos anos tem sido através de projetos de pesquisas conjuntos que envolvem também treinamento avançado (cursos e seminários) doutoramento sanduíche e estágios de pesquisadores.

       Em termos de intercâmbios nacionais, devem ser ressaltados os que envolvem docentes do PEQ em projetos conjuntos como o PRONEX (atualmente com a UFSCar, na área de sistemas particulados), o RECOPE ( com varias IES do Rio de Janeiro e o INT, na área de Catalise), e o próprio NUCAT.

       Em termos internacionais, docentes do PEQ tem utilizado mecanismos oficiais do CNPq e da CAPES para promover intercâmbios acadêmicos com universidades estrangeiras. Em alguns casos projetos de pesquisa patrocinados por agências internacionais tem sido efetivados (como os projetos Alfa ou de Pesquisa da Comunidade Econômica Européia). Nos últimos três anos, as instituições abaixo tem interagido com pelo menos uma das áreas de pesquisa do PEQ:

  • University of British Columbia e University of Waterloo(Canadá);
  • Institut des Recherches sur la Catalyse, Univ. de Lyon, Univ. de Caen (França);
  • Universidad Politécnica de Valencia e Univ. del Pais Basco (Espanha) ;
  • Instituto de Catálisis y Petroleoquímica, Univ. Nacional de Tucumán e de Santa Fe (Argentina);
  • Universidad Nacional de Chile e Universidad de Concepcion (Chile);
  • South Carolina University, Penn State University, University of Texas, University of Wisconsin, University Notre Dame (EUA);
  • Universidade de Twente (Holanda);
  • GKSS, Homburg (Alemanha);

       Entre várias outras iniciativas, o PEQ tem colaborado também no sentido de fortalecer a cooperação entre a comunidade de pesquisadores de Eng. Química do país com outras da América do Sul e com a norte-americana, resultando a partir de um workshop realizado em 1998, o CEPAC (Chemical Engineering PanAmerican Collaboration).

  • Graduação, Educação Continuada e a Distância

       Além de suas atividades na pós-graduação, todos os docentes do PEQ colaboram no ensino de graduação em varias unidades acadêmicas da UFRJ, como a Escola de Química, o Instituto de Química, o Instituto de Matemática e a Faculdade de Farmácia. Atenção particular é dada ao treinamento de alunos de graduação, exemplificado nos mais de 40 alunos com bolsas de iniciação cientifica que estagiam em laboratórios do PEQ, e que recebem também alunos do exterior, oriundos de intercâmbios internacionais.

       Iniciativas permanentes no sentido de divulgar novos conhecimentos em cursos oferecidos à comunidade técnica externa, em geral, através de cursos de atualização ou de especialização. Exemplos recentes são Curso de Modelagem de Processos Químicos e Aplicações de Processos com Membranas.

       A Escola Piloto em Engenharia Química (EP) merece destaque especial na medida que foi montada em 1993 com o objetivo de oferecer um conjunto de disciplinas avulsas, de curta duração, duas vezes por ano, em nível introdutório, sobre temas atuais ainda não incorporados ao currículo universitário de graduação, tendo como público alvo os alunos de cursos de graduação das universidades situadas no Rio de Janeiro.

       Ampliando o seu público, e numa iniciativa pioneira, a sua versão via internet - Escola Piloto Online de Engenharia Química - foi lançada em 1997, oferecendo cursos a toda a comunidade técnica e científica do Brasil. Inscreveram-se mais 700 alunos nos últimos 3 anos, oriundos de universidades de todas as regiões do país, de empresas, e inclusive do exterior, participando de cursos oferecidos em português, e de curta duração. Exemplos recentes de cursos oferecidos são: Fluidodinâmica de Sistemas Particulados, Fenômenos Interfaciais, Introdução à Combustão, Processos com Membranas, Técnicas de Controle Ambiental em Efluentes Líquidos, Catálise Ambiental.

  • Bolsas de Estudo

       Há disponibilidade de bolsas para estudantes de tempo integral. Essas bolsas resultam de auxílio do CNPq, CAPES e outras entidades governamentais e privadas. Seu valor acompanha a variação de níveis salariais da carreira de professor universitário do MEC (para mestrado, vale 70% do salário de professor auxiliar; para doutorado, 70% do salário de professor assistente).

       Como a concessão de bolsas obedece a um critério competitivo, recomenda-se que as solicitações sejam apresentadas respeitando os prazos estabelecidos. Na avaliação dos pedidos leva-se em conta a extensão e a qualidade do curso de formação do candidato e referências fornecidas por professores do mesmo. A duração das bolsas é a seguinte: mestrado - 24 meses e doutorado - 48 meses.